Agenda - Rio de Janeiro (eventos) Agenda - Rio de Janeiro (exposições) Dicas

Se Liga – Circuito cultural pelo centro do Rio

O mês de Maio está chegando ao seu fim e, enquanto uma nova programação se aproxima, outras chegam em sua última semana. Ai vai o release de um programa cultural com exposições, filmes e oficinas, voltado para as galerias e instituições que se encontram no centro da cidade.


Oficina gráfica feminista com Danitza Luna (0800)
O espaço Despina está no terceiro ano do projeto Arte e Ativismo na América Latina, realizado em parceria com a organização holandesa Prince Claus Fund. A cada ano, um tema norteia uma série de ações que incluem oficinas, conversas, projeções de filmes, exposições, ocupações, encontros públicos com nomes importantes do pensamento artístico contemporâneo e um programa de residências artísticas. Nessa edição o projeto tem como tema “DISSENSO E DESTRUIÇÃO”. Uma das artistas convidadas foi Danitza Luna, mulher feminista boliviana, cartunista e designer gráfica, que vive e trabalha em La Paz. Nos dias 29 de maio, 5 e 7 de junho, estará realizando, sem necessidade de inscrição prévia, uma oficina de três horas de um trabalho mais político do que artístico, cujos resultados gráficos estarão compilados em uma memória impressa que será distribuída para todas as mulheres que participarem dos encontros.

Visitação:
Terça – 29 de maio – das 18 às 21 horas
Terça – 5 de junho – das 18 às 21 horas
Quinta – 7 de junho – das 15 às 18 horas

No Espaço Despina, localizado na Rua do Senado, 271 Rio de Janeiro
Entrada Franca
Faixa etária livre para todos os públicos


Festival Internacional de Linguagem Eletrônica – A arte eletrônica na época disruptiva
A mostra, com a concepção e organização de Ricardo Barreto e Paula Perissinotto, permite que os visitantes interajam com novas mídias e produções artísticas que dialogam com o cenário digital em que vivemos, por meio de uma imersão no universo tecnológico. Trazendo uma reflexão sobre o papel da arte eletrônica no mundo contemporâneo.

Visitação:
13 de abril a 04 de junho de 2018, no Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
Quarta a segunda, das 9h às 21h
Entrada franca
Faixa etária livre para todos os públicos


A construção de uma obra
Com a curadoria de Luiz Fernando Dannemann, a exposição traz os desenhos e rascunhos de Candido Portinari nas mais diversas superfícies. Além da intenção de exibir a contribuição pictórica para o patrimônio artístico brasileiro, os estudos também apresentam a ânsia do artista de se manter fiel ao seu sentimento a partir de 1920, quando Portinari começa a desenhar o seu país. Assim como esculturas em bronze feitas por Sérgio Campos que, através do Projeto Portinari, produziu modelos de figuras criadas pelo artista.

Visitação:
02 de maio a 01 de julho de 2018, no Caixa Cultural do Rio de Janeiro
Terça a domingo, das 10h às 21h
Entrada Franca
Faixa etária livre para todos os públicos


Terra em chamas
“Se nações se forjam, qual identidade se quer forjar para o futuro?” escreve Paulo Gallina, curador da exposição do artista Vitor Mizael. A resposta não é clara e nem deve ser. O artista explora uma representação ficcional da fauna e flora nacionais e os repensa numa espécie de simbiose dentro das relações entre indivíduos e seu entorno na contemporaneidade. Transitando entre gravura, pintura, objeto, desenho, escultura e instalação, o artista convida a reflexão sobre bioma e cultura, onde a natureza não se submete às necessidades humanas.

Visitação
31 de março a 24 de junho de 2018, no Caixa Cultural do Rio de Janeiro
Terça a domingo, das 10h às 21h
Entrada Franca
Faixa etária livre para todos os públicos


Nouvelle Vague Soviética
A mostra Nouvelle Vague Soviética selecionou 21 filmes que revelam o cinema soviético nos anos de abertura após o regime Stalinista. “A nossa seleção abordou as figuras que fizeram parte deste momento de efervescência artística. Tentamos fazer um panorama que ao mesmo tempo misture o momento histórico, e que nos revele a singularidade artística destes realizadores, eventualmente trazendo também para a mostra o que julgamos ser os seus melhores filmes”, conta Pedro Henrique Ferreira curador juntamente com Thiago Brito. O ingresso custa R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia).
Mais informações no site: http://www.caixacultural.com.br/SitePages/evento-detalhe.aspx?uid=6&eid=1929

Horário:

29 de maio (terça-feira)
CINEMA 1
16h – Não há caminho sob o fogo (1968), de Gleb Panfilov, HD, 95 min, 14 anos
18h – Meu amigo Ivan Lapshin (1986), de Aleksey German, 101 min, HD, 16 anos

CINEMA 2
17h15 – O início de uma era desconhecida (1967), de Andrei Smirnov e Larisa Shepitko, 75 min, HD, 12 anos
18h50 – Nove dias de um ano (1961), de Mikhail Romm, 111 min, HD, 12 anos

30 de maio (quarta-feira)
CINEMA 1
15h30 – Escrava do amor (1976), de Nikita Mikhalkov, 94 min, HD, 14 anos
17h30 – Andrei Rublev (1966), de Andrei Tarkovski, 180 min, HD, 12 anos

CINEMA 2
18h15 – Primeiro professor (1965), de Andrei Konchalovsky, 102 min, HD, 14 anos

31 de maio (quinta-feira)
CINEMA 1
15h – Cinco tardes (1979), de Nikita Mikhalkov, 103 min, 35mm, 12 anos
17h – A Comissária (1967/88), de Aleksandr Askoldov, 110 min, 35mm, 12 anos
19h10 – Balada de um Soldado (1959), de Grigory Chukhrai, 88 min, 35mm, 14 anos

CINEMA 2
15h15 – Quando voam as cegonhas (1957), de Mikhail Kalatozov, 97 min, HD, 14 anos
17h15 – A sombra dos antepassados esquecidos (1964), de Sergei Parajanov, 97 min, HD, 12 anos

1 de Junho (sexta-feira)
CINEMA 1
16h – Tio Vânia (1971), de Andrei Konchalovsky, 104 min, 35mm, 12 anos
18h – Vá e Veja (1984), de Elem Klimov, 142 min, 35mm, 16 anos

CINEMA 2
15h – A Ascensão (1977), de Larisa Shepitko, 111 min, HD, 14 anos
18h – Stalker (1979), de Andrei Tarkovski, 161 min, HD, 14 anos

2 de Junho (sábado)
CINEMA 1
16h30 – Chuva de julho (1967), de Marlen Khutsiev, 107 min, HD, 12 anos
19h – Debate Cinema soviético moderno, com Hernani Heffner e Luiz Carlos Oliveira Jr.

CINEMA 2
15h45 – Difícil ser um deus (2013), de Aleksey German, 177 min, HD, 16 anos

3 de Junho (domingo)
CINEMA 1
17h – Tenho vinte anos (1962/65), de Marlen Khutsiev, 189 min, HD, 14 anos

CINEMA 2
16h – Soy Cuba (1964), de Mikhail Kalatozov, 140 min, HD, 14 anos
18h40 – Bem-vindo ou entrada proibida (1964), de Elem Klimov, 74 min, HD, 12 anos


Poro
Localizada no Centro Histórico do Rio de Janeiro, mais especificamente na região do Saara, A Gentil Carioca, uma galeria de arte contemporânea, apresenta a exposição de Maria Laet, com curadoria de Bernardo José de Souza. Seu trabalho é realizado, essencialmente, através da fotografia, onde suas obras exploram sempre a escala de cinza. Sua poética se detém, com ênfase, na linha que demarca, limita, divide e, paradoxalmente, também une – a linha como fronteira e costura.
Para mais informações: http://agentilcarioca.com.br/

Visitação:
19 de maio a 07 de julho de 2018,
Na Galeria A Gentil Carioca, localizada na Rua Gonçalves Ledo, 11 e 17, Sobrado – Centro
De segunda a sábado, das 12h às 19h (exceto sábados que fecham às 17h)
Entrada Franca
Faixa etária livre para todos os públicos

 


Feito poeira ao vento
A interdisciplinaridade da fotografia se estende por diversas plataformas como o livro, o vídeo, a instalação, a pintura ou a performance. Com a curadoria de Evandro Salles, a mostra apresenta o recorte da coleção de fotografias do Museu de Arte do Rio com produções desde os fins do século XIX aos dias atuais.

Visitação:
19 de agosto de 2017 a 15 de julho de 2018, no Museu de Arte do Rio
De terça a domingo, das 10h às 17h
Entrada franca até o dia 31 de maio
Faixa etária livre para todos os públicos


O colecionador de linhas
O Museu de Arte do Rio está com gratuidade integral até o dia 31 de maio e é uma boa oportunidade para ver a exposição que apresenta, pela primeira vez, as obras de Claudio Paiva dos anos 60 até seu falecimento em 2011. Com curadoria de Evandro Salles e Catherine Bompuis, serão exibidas mais de 200 obras entre desenhos com suportes e técnicas variadas, instalações e videos, entre eles uma série de entrevistas inéditas com depoimentos sobre o artista. Claudio Paiva participou de um importante momento da arte brasileira, ao lado Cildo Meireles, Umberto Costa Barros, Antonio Manuel, Artur Barrio, Luiz Alphonsus entre outros partindo da articulação de três esferas: o desenho, a palavra e o objeto.

Visitação:
11 de novembro de 2017 a 03 de junho de 2018, no Museu de Arte do Rio
De terça a domingo, das 10h às 17h
Entrada franca até o dia 31 de maio
Faixa etária livre para todos os públicos

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s