Agenda - Rio de Janeiro (exposições)

COMO FAZER UM MUNDO?

Qual a função da arte na sociedade? Não há respostas certas ou erradas. Para muitos pode ser impossível responder essa pergunta ou, para alguns especialistas, será afirmado que não há função. Porém, diante de um momento em que a ausência de sentido e esperança em um futuro são flagrantes, uma das funções da arte se torna emergente: revolucionária, fomenta uma energia potente e nos leva a imaginar outros presentes, futuros ou passados. A arte que nos leva a imaginar, rompe as correntes do medo que podem aprisionar e paralisar. Ele não. Ele, o medo não. Ele não pode nos paralisar. O medo fascista tenta calar a esperança e a imaginação. As crianças que atuam aqui como artistas, fazem parte da geração que assumirá as rédeas da cidade e do país daqui a 20 anos e tem muito a ensinar sobre como estender nossa capacidade de pensar, construir e fazer outro mundo. Esse mundo mais belo, divertido e acolhedor para todos, não poderá construído pelo medo. Esse mundo só poderá ser construído pelo amor.

Ao longo das Oficinas de Brincadeiras, realizadas no CMAHO e na Escola Municipal Uruguai – localizada no bairro de Benfica na cidade do Rio de Janeiro – 38 crianças desenvolveram os trabalhos que integram esta instalação coletiva de sensações, sentimentos, cores, alturas, movimentos e texturas. A instalação é dividida em três partes: uma pintura gigante com o projeto do que não pode faltar nesse mundo futuro. Uma escultura para experimentar alturas dentro da galeria, onde a cada andar se encontra pontos de vista diversos, sem hierarquização. E a terceira parte, onde a construção desse mundo só poderá acontecer por todos, com suor e trabalho, mão a mão. E, além disso, um mundo sem fome, com respeito pelo alimento e pelos pequenos produtores, com terra para todos.

Um mundo mais justo e amável é mais simples do que os adultos complicam. Com respeito a vida, aos animais e a natureza. Com oportunidade para todas as crianças e suas famílias terem condições dignas de moradia, saúde, estudo, lazer, cultura e trabalho. Com tudo isso, não será necessário se preocupar com segurança. No momento em que lidamos com a trágica perda do Museu Nacional, às vésperas do 1º turno das eleições, que se considere que fazer um mundo não é um assunto apenas de adultos, mas também das crianças. Elas devem participar desse projeto e da construção.

A exposição Como fazer um mundo? dá continuidade ao projeto curatorial do CMAHO que se esforça por apresentar ao público conteúdos periféricos à história da arte tradicional.

Daniele Machado

Curadora

 

Acauã de Souza Silva
Ana Carolina Souza Mesquita
Ana Julia Santos Santiago
Andrey Alexander Paz Roman
Antonia Soares
Beatriz da Silva Louzeiro
Carlos Henrique de Sousa
Carlos Henrique Soares de Moraes Junior
Cauã Trindade Costa
Evelyn Riane Torres Hervano
Gabriel Tiago Trotta Monteiro
Giomenes de Deus dos Santos
Halana Roberta Gouveia de Almeida
José Arthur Brito dos Santos Ovídio
Kaillane Xavier Castilho
Leticia Alves Soares
Lorena Santos dos Santos
Lorrane Coutinho dos Santos
Luisa Medeiros Senra
Luzia Nair Gomes Lopes
Maria Clara da Silva Batista
Maria Eduarda Sena Rodrigues
Maria Luiza da Costa Ferreira Faria
Mariane Aparecida Cezario Dos Santos
Michelle Kenia Maciel Da Silva
Nathan de Almeida Figueiredo
Nathany Vitória Donato
Nayara Gabriele Martins da Silva
Rafael Rodrigues Lima de Macedo
Ramon Lima de Oliveira
Rikelmy Fabricio Nascimento Fernandes
Thiago Pinto de Lima Vieira da Silva
Yuri Victor do Santos Ferreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s