Crítica Crítica semanal Mayã Fernandes

Eterno Retorno

O artista plástico Paulo Andrade representa na série O Eterno Retorno, – Desenhos, gravuras e impressões (1984 -2018), a cidade de Brasília. Após de 30 anos após sua exposição no Centro de Criatividade da 508, o artista expõe novamente no então renomeado Espaço Cultural Renato Russo, na Galeria Parangolé.

Com obras inspiradas nos cartões postais da cidade, o artista mistura diversas técnicas, como desenho, serigrafia, aquarelas e releituras digitais, impressas em fine art. Além disso, o artista tenta demonstrar suas influências no pensamento nietzcheano, buscando retomar conceitos caros à filosofia de Friedrich Nietzsche, respondendo à questão do Eterno Retorno.

O Eterno Retorno é lembrado por Nietzsche no aforismo 56 em que diz:

E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: “Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência – e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez – e tu com ela, poeirinha da poeira!“ Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderias: “Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!” Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: “Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?” pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou, então, como terias de ficar de bem contigo e mesmo com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?”  A Gaia Ciência (1882) aforismo 56.

As obras de Paulo Andrade se relacionam com o conceito de Nietzsche a partir da retomada, retorno à Brasília. Caminhando nos limites da capital, o artista expõe os deslocamentos espaciais em uma mesma realidade. Arte política, denuncia por meio de imagens, o estranhamento quando o espaço é ocupado pelo outro.

Observando as obras, percebem-se polos distintos em uma mesma realidade, alternando-se nas vivências em eterna repetição. Contudo, o artista foge do conceito de Eterno Retorno quando por meio das colagens mostra uma ruptura. O distinto é evidenciado ao colocar indígenas em cena, protagonistas que reivindicam seu espaço. Em tela, mostram-se em perspectiva maior que os monumentos da cidade, todos situados em uma região de poder, seja econômico, político ou religioso. Parece que o autor tenta trabalhar com o conceito de “super-homem”, mas a ideia apresenta-se opaca em sua obra.

WhatsApp Image 2018-10-27 at 13.03.21

Paulo Andrade, do álbum ” O Eterno e o Retorno “, litografia, 56/70 série II de 1982, ” BRAVA GENTE BRASILEIRA “, medindo 58 x 46 cm.

Diante todos os retrocessos, a permanência daqueles que são deslocados como minorias nos espaços de poder se faz mais do que necessária. Acredito que a obra de Paulo Andrade indica mais a tentativa desses grupos em se fazer ouvir, do que alinhar-se com os conceitos de Friedrich Nietzsche. Nas imagens, os indígenas podem simbolizar outros sujeitos que buscam ter seu lugar de fala para ocupar, enfim, a capital do Brasil.

 


mayaMAYÃ FERNANDES
 é formada em Filosofia pela UnB e atualmente é mestranda em Metafísica pela mesma instituição. É pesquisadora da Cátedra UNESCO Archai: Origens do pensamento Ocidental e editora da PHAINE: Revista de Estudos Sobre Antiguidade. Estuda a teoria do belo na antiguidade e escreve crítica de arte no site Linhas de fuga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s