Crítica semanal Ludimilla Fonseca

Enviado do meu Iphone

 

Lá onde tudo é diferente

As horas passam em outra velocidade

E o sol corre num sentido invertido

Lá, onde tudo é diferente,

Eu ainda sou eu mesma

Saída da mesma barriga, da mesma semente

Tendo visto tudo o que vi,

Se passo por caminhos diferentes

Esse ainda é o mesmo corpo que me conduz

Se durmo com homens diferentes,

Esse ainda é o mesmo coração que desperta sozinho

Lá faz frio e os sorrisos vêm de improviso

Aqui é quente, a pele descama e os sorrisos envelhecem

Se uma parte vai, a outra não desaparece

Tudo que está dentro muda

Tudo que está fora não me pertence

ludmilla

Fonseca é jornalista pela UFJF (MG) e mestranda em História e Crítica da Arte na UFRJ. Curadora e produtora independente, escreve regularmente para as revistas Desvio, Híbrida e O Fermento”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s