Crítica semanal Pietro De Biase

FANTASMAS DE TOLEDO

Há paletas na história da pintura que de tão singulares se tornaram extensões das obras de seus/suas criadores(as). Seja Vermeer com seu lápis-lazúli, seja Marie Laurencin com seu off-white. Ou Gustav Klimt com suas filigranas douradas. O que dizer de Marcela Cantuária e sua fluorescência guerrilheira?  A cor vibra na emoção dos pincéis e é ferramenta que auxilia na construção a identidade afetiva das obras. O Grand Palais em Paris dedicou a última exposição do biênio de 2018-2019 à paleta do Mestre de Toledo, El Greco. 

Nascido em 1541, na atual Creta, Grécia, sob o jugo veneziano, Doménikos Theotokópoulos, o El Grego se mudou para Veneza, onde atravessou os azuis de Ticiano, para encontrar refúgio nos contornos soturnos do mestre da renascença tardia, Tintoretto. El Greco bebeu no maneirismo da Sereníssima com sofreguidão. Na bagagem, trazia a iconoclastia bizantina do recém extinto Império cujos ecos ainda soavam pela península grega.  

Se foi em Veneza onde a arquitetura ocidental encontrou o oriente próximo, dando origem ao típico gótico-bizantino da cidade, foi pelos pincéis d’El Greco, que melhor se materializou a mescla entre o pictórico renascentista e a tradição bizantina. Apesar das afinidades com a cidade dos canais, foi em Toledo, capital do catolicismo espanhol, em que o artista alcançou o seu maior prestígio.

a vista de toledo
A vista de Toledo (1596 -1600)

Suas curvas fantasmagóricas combinadas com silhuetas longilíneas de pigmentação carregada contribuem para a sensação de estranhamento. Tudo foi inédito em El Greco. Até mesmo sua trajetória, da pequena ilha no mar Egeu às altas cortes ibéricas. A primazia da imaginação e da intuição sobre o caráter subjetivo da criação era um princípio fundamental do estilo do Mestre de Toledo. O artista desconsiderou critérios classicistas como simetria e proporção.

El Greco considerava a cor o elemento mais importante e indomável da pintura, gozando, portanto, de preferência sobre a forma. Seus traços cromáticos impregnados de emoção buscavam a liberdade de estilo, rejeitando, por vezes, a função ainda imperiosa, à época, da pintura se alinhar à arte da representação da natureza. El Greco rejeitou essa premissa para construir uma obra ex-cêntrica, pois desestabilizou o enquadramento representativo.

Seus perfis lânguidos também emprestaram corpo a muitos retratos. O mais célebre talvez seja o Retrato do Cardeal Nino de Guevara, que serviu de estudo para Velázquez e, mais tardiamente, para Bacon, que distorceu a carga emotiva do tema, até chegar a um grito espectro-gutural.

Uma inovação dos trabalhos maduros d’El Greco esteve entrelaçamento entre forma e espaço; uma relação recíproca desenvolvida entre ambos que cristalizou o senso de unidade na superfície da pintura, que, na visão de alguns historiadores, poderia se assemelhar a um proto-cubismo. A intensidade dos trabalhos tardios do Mestre de Toledo capturaram a angústia de uma Espanha mística, atropelada pela Contra-Reforma da Igreja Católica.

são joao
A visão de São João (1608-1614)

O artista nunca retornou à Veneza, embora Veneza nunca tenha deixado de habitar sua mente e seus pincéis. Seja pelas cores, pelas formas ou  por seu cosmopolitismo de referências, El Greco traduz o que se melhor navega sobre as gôndolas da Sereníssima. Séculos mais tarde, Italo Calvino declarou que Veneza deveria ser incluída nas periferias das cidades do desejo, mas  em zona conurbada com a das cidades impossíveis, porque é inalcançável em sua essência. Assim sentimos a obra do Mestre de Toledo, como a cidade imaginada por Calvino, que escorre por nossos sentidos –  “terra narrada pelas águas que parece afundar sempre, mas que ressuscita a cada amanhecer, aos olhares dos que a amam”.

 

 

pietro

 

Pietro de Biase é advogado. Participou do Laboratório de pesquisa e prática de texto em arte do Parque Lage. Atualmente, integra o programa Imersões Curatoriais da Escola sem sítio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: