TBTDesvio

#TBTDESVIO 003: Africanidades

Nessa terceira publicação do #TBTDesvio (21 de maio de 2020) buscamos apresentar o Caderno Especial – Africanidades, presente na 5ª edição da Revista Desvio (2018.2). O interesse por debater tais questões é antigo, dado que na 1ª edição da revista, em nossa estreia, convidamos os organizadores do AFRORESISTÊNCIAS: estética negra e novas narrativas para contribuir com a nossa publicação. É interessante mencionar que o evento foi uma atividade desenvolvida por alunos da graduação em História da Arte, da Escola de Belas Artes da UFRJ. Realizado entre os dias 11 e 13 de maio de 2016, no prédio da Reitoria, contou com uma programação diversa, com falas de cineastas, educadores, performers, pesquisadores e produtores culturais, além disso, também promoveram oficinas, contação de histórias e exibição de filme entre as mesas de comunicação. Embora a excelente repercussão dessa iniciativa e a importância das questões promovidas com o debate, o projeto não chegou a ter uma segunda edição. Dois anos depois, resolvemos produzir o Caderno Especial – Africanidades, afinal, a reflexão continua. Ainda mantemos a esperança de ver a retomada desse projeto.    

O Caderno Especial foi constituído por 5 colaborações bem diversas. O primeiro texto, A explosão de um canto interior, escrito por Pedro Carcereri, traz uma reflexão crítica sobre a série fotográfica eu sou porque nós somos, do artista mineiro João Vitor Medeiros. As fotografias são registros do Bloco Ilê Aiyê, do Carnaval de Salvador, na Bahia. Considerado o bloco afro mais antigo no Brasil, fundado em 1974, os seus idealizadores buscam expandir a cultura africana em nosso país. As fotografias trazem as imagens do centenário de Nelson Mandela, em 2018. 

Em seguida, contamos com a entrevista de Cláudio Fortuna com Fernando Mourão. A conversa aconteceu poucos meses antes do falecimento deste que é considerado um pioneiro do estudo sobre a África no Brasil. Professor da Universidade de São Paulo desde da década de 1960, colaborou na criação do Centro de Estudos Africanos (CEA). O entrevistador, pro sua vez, é um antropólogo, escritor e investigador da Universidade Católica de Angola. 

O terceiro conteúdo, Coletivo Descolônia: arte, afetividade e ativismo preto, trata-se de um relato de experiência de Matheus Assunção. Em resumo, o Coletivo Descolônia, criado em 2017, consiste em um desdobramento de um grupo de estudos sobre arte afrocentrada – MIRADA: Visualidades, Interculturalidade e Formação Docente. A iniciativa partiu dos alunos do Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora, sendo os seus objetivos: produzir, estudar e difundir uma arte afrocentrada. 

Rennan Carmo participa do Caderno Especial com o ensaio Fongbè, Voduns, Nagotização e o Candomblé. Em seu texto aborda as reverberações criadas no candomblé brasileiro a partir dos processos de transculturação. O autor busca uma aproximação entre a língua portuguesa e o Fongbè a fim de construir um glossário de termos, os quais são utilizados dentro de uma casa de candomblé. No verbete Fongbè, por exemplo, ele nos informa que essa também é conhecida como Fon, uma língua falada pelos povos Jeje, atualmente no Benim devido os processos coloniais.

Por fim, temos o artigo Corpo negro colonizado e algumas implicações do imperialismo europeu sobre partes da África, de Eumara Maciel dos Santos, na época doutoranda em Estudos Étnicos e Africanos pela Universidade Federal da Bahia, pesquisa a respeito de questões referente a história e identidade da África. A autora versa sobre a construção da representação da África e os africanos durante o século XIX. O texto consiste em uma análise da pauta eurocêntrica e racista do colonialismo europeu, tal como, trata do modo como o corpo negro foi objetificado, visto como o Outro.

Capa: JV Medeiros. Ilê Aiyê – 45 anos do Bloco Afro mais importante do Brasil. Série eu sou porque nós somos, 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: